quinta-feira, 26 de agosto de 2010

POSIÇÃO OFICIAL FENEAUTO EM RELAÇÃO À RES. 385/2010

               Federação Nacional das Auto Escolas e Centro de Formação de Condutores


R. Dr. Mario Cardim, 266 – Vila Mariana - CEP 04019-000 – São Paulo – SP – Brasil
(11) 5084-8177 / 5084-8193  - www.feneauto.org.br

 São Paulo, 20 de agosto de 2010.


POSIÇÃO OFICIAL FENEAUTO 
FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTOESCOLAS E
CENTROS DE FORMAÇÃO DE CONDUTORES

Assunto: - Resolução 358 do CONTRAN e Lei 12.302.

Tendo em vista, a publicação da Resolução 358 de 13 de agosto de 2010, (publicada em 19/08/2010) que regulamenta o credenciamento de instituições ou entidades públicas ou privadas para o processo de capacitação, qualificação e atualização de profissionais, e de formação, qualificação, atualização e reciclagem de candidatos e condutores e dá outras providências; e da Lei 12.302, de 2 de agosto de 2010, (publicada em 03/08/2010) que regulamenta o exercício da profissão de Instrutor de Trânsito, a FENEAUTO vem através desta, expor o que segue:

Em nosso entendimento, o Governo Federal e Congresso Nacional se apequenaram ao editar as referidas normas, pois é preocupante que com a atual realidade do trânsito brasileiro, que vem apresentando índices crescentes e alarmantes quanto à acidentalidade e mortalidade em nosso trânsito, deixe de aproveitar a reflexão profunda que o momento oferece, ao não promover alinhamentos de normas legais em consonância com a realidade. 

Também é inconcebível que o Instrutor de Trânsito tenha como requisito de ingresso nesta atividade apenas o ensino médio, a atual crise brasileira no trânsito deve ser combatida com melhor  capacitação  dos responsáveis pela  formação do novo condutor,  também é incompreensível que o Governo  tenha fechado os olhos para a atual realidade das empresas que formam os recursos humanos e muito especialmente o modelo de credenciamento dos Centros de Formação de Condutores (Autoescolas), modelos estes que se apresentam de maneira ultrapassada, inoperante e na maioria das vezes suscetível as pressões e ingerências políticas.

Por fim, apesar de reconhecer que as referidas normas apresentam acanhadas modificações no cenário atual, gostaríamos de deixar registrado que entendemos que o Brasil esperava muito mais e que estamos perdendo uma grande oportunidade de promover significativas mudanças no processo de formação de condutores, a qual, seguramente, se fossem bem implantadas e aplicadas surtiriam efeitos mais satisfatórios a médio e longo prazo para em prol de um novo trânsito brasileiro, mais humano, mais educado e com perspectivas coerentes de diminuição da acidentalidade e mortalidade.

Magnelson Carlos de Souza
Presidente da FENEAUTO

Um comentário:

  1. Bom dia! Sou Instrutor de Trânsito,tenho visto com o passar dos anos de profissão o descaso pelas autoridades responsável nos que instruímos os novos candidatos,passar nas Escola de trânsito sem o mesmo compreender as regras do que foi criado o CBT para melhorar o sistema de trânsito do Brasil onde tem a maior índice de acidente do mundo levando milhões de seres humanos a morte e feridos com traumas para resto da vida. Os investimentos para melhoras o modo de viver com o trânsito não tem prioridade, mas colocando equipamentos para criar a maior arrecadação dos últimos tempo. Esta faltando respeito com ao aprendiz com profissionais que atua . Vamos rever que tudo que fazemos e para preservar,vida este e o objetivo que vivemos.Bsb,Gama DF

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim.

Seja um membro você também!