veja os países confirmados

Quantos paises já visitei. Faça o seu mapa personalizado de viagens
Visitei 8 países das Nações Unidas (4.14%) num total de 193.
Faça o seu mapa de viagens.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Acidentes de Trânsito?



Roberta Torres

Acidente é algo não previsto. E eles até acontecem. Mas será que são todos acidentais? Se o condutor infringe claramente uma regra de segurança, como dirigir embriagado e em alta velocidade, não é clara a intenção de causar o "acidente"? Então, neste caso, mortes causadas no trânsito desta forma não deveriam ser considerados “acidentes”.

Aceitar que um crime de trânsito, mesmo que não cause morte, seja chamado de acidente - como estamos acostumados a tratar - fortalece a ideia de ser algo casual, eximindo de culpa e de punição aqueles que o cometeram.

Cabe à sociedade mudar sua visão, não aceitando mais as tristes perdas de vidas no trânsito por meros "acidentes". É chegada a hora de voltarmos contra a impunidade e cobrar das autoridades punições mais severas e maiores investimentos na educação para o trânsito. Não podemos achar "normal" famílias sendo desestruturadas por causa de um ato de imprudência, falta de amor próprio e falta de respeito pelos seus semelhantes.

Talvez a maioria das pessoas que se incomodam com a quantidade de mortes diárias no trânsito admitiriam que a situação chegou ao seu extremo e compartilham inevitavelmente a ideia de um colapso geral. Ainda assim, assumimos de forma consciente que pouco podemos fazer a respeito. A maioria assume que não podemos fazer nada sobre o assunto, mas eu digo que podemos.

Acredito que esse processo é reversível. Nossa sociedade está decadente e nosso trânsito carente de contribuições pessoais pontuais. É isso mesmo! Cada um fazendo a sua parte. O trânsito moderno está sim repleto de maus hábitos, porém, que podem ser evitados se estas mesmas pessoas que se incomodam, estiverem dispostas a dar-se o necessário trabalho de mudar.

Em 2011, Rafael Baltresca perdeu  a mãe e a irmã vítimas de um condutor que estando em seu veículo em alta velocidade, atropelou e matou as duas em São Paulo. O autor do crime se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas testemunhas afirmaram que ele estava completamente embriagado. Diante desta situação e da realidade que o Brasil enfrentava e ainda enfrenta, Rafael e amigos criaram o movimento Não Foi Acidente, com o objetivo de mudar as leis brasileiras principalmente relacionadas à mistura álcool e direção. Após este movimento ter sido criado,  centenas de brasileiros se uniram à causa.

Mudar essa concepção pode levar algum um tempo. Mas, quem sabe, aflorar na sociedade a desejo de justiça seja o primeiro passo para a longa caminhada?


Roberta Torres
Especialista em Segurança e Educação no Trânsito

4 comentários:

  1. Parabens mais uma vez Roberta. Retomar esse tema eh muito importante para todos nos. Vamos insistir para que nossa cultura mude.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente contigo Roberta, a única forma de vencermos a guerra contra a quantidade absurda de acidentes que ocorrem no Brasil, e que deixam todos os anos milhares de sequelados e outros milhares de lares com uma vida a menos, é apostarmos seriamente em campanhas maciças de Educação de Trânsito, aliado a projetos de engenharia baseados na gravidade das ocorrências registradas e acompanhadas, aliados também a projetos de lei sérios e rígidos, que por si só combatam automaticamente o crescimento da impunidade.
    Os números indicam que houveram mais de 43 mil vítimas fatais no Brasil em 2011, tenho um vídeo de 3 minutos com imagens de 34 pessoas famosas que faleceram no trânsito em meu blog. Se eu fosse fazer um vídeo que contemplasse todas essas 43 mil vítimas fatais de 2011, esse vídeo seria demoradíssimo. Agora e se eu acrescentasse a esse vídeo todas as pessoas que sofreram devidos às mortes destas 43 mil pessoas, chegando a quase um milhão de pessoas? Pelo meus modestos cálculos esse vídeo duraria aproximadamente 328 dias (mais de 472 mil minutos).
    Em outras palavras, é muito sofrimento humano causado por humanos...
    Abraços renovados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada pelo comentário. Qual o endereço do seu Blog? Quero ir lá fazer uma visita. Não achei. Abração!

      Excluir
  3. É isso Roberta,não podemos nos calar e deixar essa "epidemia" continue crescendo e se alastrando diariamente no nosso país. Precisamos mobilizar a sociedade e sensibilizar nossas autoridades para que a concepção de acidente seja mudada nestes casos em que há comprovadamente a ocorrência de "crimes diversos na direção veicular". Que cada um faça a sua parte como cidadão, para um trânsito melhor e um Brasil melhor para se viver. Parabéns mais uma vez por nunca desistir de defender essa causa. Carlos Silva

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim.

Seja um membro você também!