sexta-feira, 20 de setembro de 2013

VII Encontro Ibero-Americano de Formação de Condutores


Como aprimorar e modernizar o processo de formação de condutores
Fortaleza 12 À 14 de setembro de 2013

O VII Encontro Ibero-Americano de Formação de Condutores aconteceu este ano na cidade de Fortaleza/CE entre os dias 12 à 14 de setembro de 2013.
Estiveram presentes representantes de 24 estados brasileiros e 10 países além do Brasil. Argentina, Uruguai, Espanha, Portugal, Chile, Peru, Guatemala, Panamá e Bolívia e México.
Contamos com a presença do Deputado Federal Hugo Leal, sra. Maria Cristina Hoffmann diretora de educação do DENATRAN, Dr. Igor, Superintendente do Detran do Ceará além dos representantes de CFCs. Foram tratados alguns temas de extrema relevância.

Cleiton. Presidente do Sindicato do Ceará





















Palestra professor Luis Montoro

Professor Luis Montoro - Espanha
Tivemos uma brilhante palestra do professor da Universidade de Valência/Espanha dr. Luis Montoro. Ele falou sobre a importância da nossa capacitação e qualificação. A Espanha conseguiu reduzir em 50% o número de mortes. Ele questionou como queremos uma boa formação dos condutores, se a formação dos instrutores e examinadores estão inadequadas. Defendeu que nada substitui o professor. Ou seja, criticou assim como o senhor José Miguel Baez presidente da CICEFOV a ideia de cursos à distância para a formação de condutores.
O professor Luis Montoro finalizou sua palestra dizendo que nós brasileiros não acreditamos em nós, não nos organizamos. Sendo assim, como vamos querer que o governo nos respeitem se nós não nos qualificamos melhor. E que grandes mudanças só aconteceram porque algumas pessoas sentaram à mesa, discutiram, debateram e fizeram algo.


Palestra Deputado Hugo Leal


Deputado Federal Hugo Leal
O deputado iniciou dizendo que tem acompanhado de perto as lutas dos CFCs e tem buscado junto a outros parlamentares o apoio que precisamos para que as mudanças ocorram. Ele cobrou em público o posicionamento do DENATRAN na presença da Dra. Maria Cristina Hoffmann. E tratou de alguns temas específicos:
Resoluções 168 e 358. Estão sendo reformuladas. Mudanças significativas acontecerão no processo de habilitação. Principalmente com relação à carga horária.


- Aula noturna. O deputado Hugo Leal Informou que várias já foram as tentativas junto ao governo e às esferas competentes, porém, o argumento para manter-se as aulas noturnas é que muitos dos acidentes acontecem no período de lusco-fusco. O que o deputado questiona principalmente é o critério usado para a quantidade de aulas. Porque 20% e não 10% o 5%. A proposta é que a quantidade de aulas noturnas reduza ou então que possamos ministrá-las no simulador.

- Redução do IPI. Também segundo o deputado Hugo Leal, várias já foram as tentativas junto ao governo para tratar deste assunto, sem sucesso. Porém, ele tem que convencer outros parlamentares a “comprarem” a ideia dele. Ele sozinho não conseguirá. Ele tem tentado provar que o incentivo não trará prejuízos para os cofres públicos uma vez que essa é uma grande preocupação com a desoneração.


- Simulador. Da mesma maneira, a forma como foi definido os prazos e exigências para o simulador, também foram questionadas pelo deputado. Existem estudos nos EUA que comprovam que o simulador reduz em 50% o número de mortes e acidentes. Na palestra do representante do Uruguai Sr. Arturo Borges, o mesmo informou que foi realizado um estudo onde ficou comprovado que 1 hora de simulador equivale à 4 horas práticas. Lá, eles já utilizam o simulador há alguns anos.




Maria Cristina Hoffmann
- Resolução 168. A sra. Maria Cristina Hoffmann informou que a resolução 168 está sendo revisada e logo será publicada novamente com alterações no processo de formação de condutores. Que o simulador será exigido a partir do dia 01 de janeiro de 2014 e que defende os CFCs que querem trabalhar com transparência, ética e compromisso com educação para o trânsito. Que não interessa aos órgãos de trânsito, CFCs que utilizam-se de artefatos para falsificar biometria, não cumprir com a carga horária, etc, etc. Disse que o DENATRAN encontra muitas dificuldades pela quantidade de pessoas no órgão e que compete aos DETRANs fiscalizar. E que muitos não estão fazendo o seu papel.


- Categoria D para instrutor. O palestrante Maurício Pontello afirmou que passamos por um retrocesso quando a lei que exige um ano de categoria D foi imposta. Sem nenhum tipo de embasamento teórico. Alguns da plateia não concordaram dizendo que a categoria D tornava o instrutor mais capacitado. Eu, como moderadora do painel fiz uma intervenção afirmando que se estamos condicionando a capacidade técnica e pedagógica do instrutor à categoria de habilitação ele possui, então, temos que concordar que para ser instrutor deveria ser exigido ter a categoria máxima que seria a “E” ou então todas as categorias de “A” à “E”. Qual a justificativa para a exigência da “D”? A grande questão, é que a proposta da lei chegou aos responsáveis como um anseio da categoria dos instrutores. Assim como o informado pelo Dr. Jairo do DENATRAN.


- ENIT e ENET. A Sra. Maria Helena informou também que ante de avaliar os instrutores e examinadores, o DENATRAN irá disponibilizar gratuitamente cursos para todos os instrutores e examinadores do Brasil no modelo EAD, para depois avaliar. Segundo ela, não adianta avaliar algo que eles já sabem que não está bom. Então a proposta é: capacitar e depois avaliar.
Além dos temas específicos do Brasil, o evento tem por objetivo trocar experiências com ou outros países sobre o processo de formação de condutores.
Fiz abaixo um breve resumo de como funciona o processo nos países Ibero-Americanos:


José Miguel Baez - Presidente da CICEFOV - Espanha





ESPANHA
Disse que os jovens são muito críticos e lá existe o simulador. Mas que não são tão bons quanto alguns jogos que já estão disponíveis. Que devemos tomar cuidado para que o mesmo não aconteça aqui no Brasil. Que o instrutor deve acompanhar as aulas do simulador e não deixar o aluno sozinho.
Custo aproximado de mais de R$ 3.000,00.













Fernando Pereira dos Santos - Anieca - Portugal
PORTUGAL
Na década de 50 os instrutores eram os taxistas. Em 2007 criaram regras específicas. Lá, o instrutor tem que fazer estágio de 3 anos de duração. O candidato precisa cumprir 28 aulas teóricas e 32 práticas ou então rodar 700Km com um tutor que não necessariamente precisa ser instrutor. A fiscalização é forte.
Curiosamente, lá também existe o grupon.





Arturo Borges - Uruguai



URUGUAI
Os exames são rápidos. Não avaliam bem. Não existe um Sistema de trânsito. 15 horas práticas nenhuma teórica. Só uma prova fácil. Utilizam o simulador e segundo o Sr. Arturo Borges, foi feito um estudo e concluíram que 1 hora de simulador equivale a 4 aulas na via pública.
Custo aproximado de R$ 1500,00.






MÉXICO
Os instrutores não são valorizados. Não existe processo de habilitação ou carga horária obrigatória.
Aproximadamente R$ 274,00








Willy Vera - Peru


PERU
12 aulas teóricas e 8 aulas práticas, porém, não é obrigatório. Existe simulador. A validade da CNH é de 8 anos e a partir de 81 anos vence a cada 2 anos.
Custo de aproximadamente R$342,00









Jaime Bravo - Chile

CHILE
Custo de aproximadamente R$460,00 para categorias menores e R$1370,00 categorias maiores.
Não existe um processo de habilitação formal.
Idade com a permissão dos pais 17 anos, sem a permissão dos pais 18 anos. 








Maricel Cappelletti - Argentina


ARGENTINA
Não existe carga horária obrigatória. Em Buenos Aires a idade mínima é 17 anos e nas outras cidades 18.
Custo de aproximadamente R$570,00.









GUATEMALA

Eles podem fazer publicidade nos carros das autoescolas. Em 1998, o governo simplesmente escolheu 7 autoescolas que antes eram despachantes para funcionar. Fechou todas as outras. Daí, um tempo depois começaram a surgir autoescolas ilegais. Só em 2010 o governo conseguiu organizar.
Idade: 16 anos.
Assim que ele faz o exame teórico já vai para a pista fazer o exame prático e recebe o certificado de aprovação. Isso tudo dentro da autoescola com supervisão do DETRAN. No mesmo dia, a pessoa vai buscar sua carteira de habilitação. Não é obrigatório o cumprimento de carga horária.
Custo equivalente a R$ 1.260,00.


PANAMÁ
Pompílio Alexxis - Panamá
Em 2006 foi regulamentado o processo de habilitação. Até esse ano, nada era exigido. Nessa época o governo fechou todas as autoescolas deixando apenas uma Universidade fazendo esse trabalho de formação. Depois, perceberam que ela não estava dando conta da demanda. Hoje, as autoescolas tem convenio com a Universidade.
Exigem categoria A para bicicletas.
Não é exigido nenhuma carga horária de aulas. Eles dividem em três tipos de alunos: 1 – Os que não sabem dirigir. Neste caso, ele faz 36 horas práticas e 20 teóricas (não obrigatórias). 2 – O que já sabe dirigir e faz somente o exame e 3 – Os que querem trocar de categoria que também realizam somente o exame.
O exame prático consiste somente em fazer a baliza em área fechada.
Custo equivalente a R$ 798,00




























Um comentário:

  1. Legal seu resumo só faltou vc incluir o diretor presidente do Detran de Alagoas senhor Luiz Augusto Santos Lúcio de Melo

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim.

Seja um membro você também!