terça-feira, 29 de outubro de 2013

Livro Saúde & Trânsito

Considerada uma questão epidêmica de saúde pública pela Organização das Nações Unidas (ONU), o número de mortes em acidentes viários necessita de propostas de visão multidisciplinar, envolvendo diversas áreas da medicina. Buscando alternativas e sugestões para reduzir a mortalidade resultante de colisões no país, especialistas, autoridades públicas e representantes de entidades não governamentais reuniram-se no livro “Saúde e Trânsito”, sob organização do membro da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), Fernando Moreira.
A publicação reúne artigos de diversos especialistas na correlação entre trânsito e saúde. Membros do poder público, como o coordenador-geral da Operação Lei Seca, major Marco Andrade, o deputado federal Hugo Leal, autor da Lei 11.705/08 – conhecida como a Lei Seca, o presidente do Conselho Estadual de Trânsito, Antônio Damasceno e a especialista em segurança e educação no trânsito Roberta Torres, que escrevem ao lado de médicos, nutricionistas e psicólogos. Representantes de ONGs como Fernando Diniz, fundador da “Trânsito Amigo”, e Alessandra Françoia, da “Criança Segura”, falam sobre como a sociedade civil pode contribuir para mais paz no trânsito. Moreira explica que as diferentes formações dos envolvidos no projeto faz da obra uma importante fonte de pesquisa.
Dr. Fernando Moreira - ABRAMET
O livro reúne um grande diagnóstico da situação mundial e brasileira, especialmente com foco em saber o perfil das pessoas que estão perdendo suas vidas. Abordamos também quais são as atitudes que estão sendo tomadas pelo poder público, desde a melhoria da formação do condutor capítulo escrito por Roberta Torres até o investimento em melhorias em sinalização, educação e fiscalização. 
É uma fonte de consulta para quem quer entender as diferentes vertentes que afetam o trânsito funciona no Brasil e no mundo – afirma Fernando.
No artigo “Operação Lei Seca: Perfil dos motoristas fiscalizados e resultados na sociedade fluminense”, o coordenador-geral da operação, major Marco Andrade, traz estatísticas fundamentais sobre o trabalho do projeto. O texto fala sobre a importância da fiscalização ostensiva, o trabalho de estatística para definir os locais para posicionar as blitzes – baseado nos pontos onde eram registrados os maiores índices de ocorrência de acidentes ligados à alcoolemia – e os diferentes perfis de motoristas abordados.
É muito importante para o grande público ter a abordagem de quem comanda o projeto. A presença do artigo do major marco Andrade faz com que nós tenhamos uma fonte de pesquisa autêntica, que mostra os resultados e a importância da fiscalização da combinação entre álcool e direção. Essa é uma ação que pode repercutir a discussão sobre segurança no trânsito e que tem servido de modelo para outros estados. A Operação Lei seca é um modelo que tem despertado atenção e que tem trazido resultados.
Para Comprar o livro: livros@arlequim.com.br






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim.

Seja um membro você também!