segunda-feira, 20 de julho de 2015

A arte de ser pedestre


Por: Roberta Torres

Não é à toa que o direito de ir e vir é assegurado pelo inciso XV do artigo 5º da Constituição Federal a locomoção é uma necessidade básica do ser humano:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
XV - É livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens.

Nós precisamos ir a vários lugares todos os dias. Em casa, na rua, no bairro e na cidade, estamos sempre nos locomovendo. A necessidade de locomover e transportar cargas ajudou em nossa evolução. Apesar de termos criado outros meios, o deslocamento “a pé” continua sendo um dos principais jeitos de chegarmos aos nossos destinos. Durante nossa história, utilizamos artifícios para auxiliar nosso corpo no carregamento de objetos. O homem pré-histórico, por exemplo, usava peles de animais ou cascas de árvores para arrastar objetos.

Com o passar do tempo, o homem passou a usar a roda, instrumento que se tornou uma das principais invenções na trajetória do nosso desenvolvimento. Em sua evolução, veículos com rodas foram puxados pelo homem, por animais como bois e cavalos, e mais tarde passou a se locomover mecanicamente. Hoje, esses veículos representam uma grande parcela dos deslocamentos no Brasil, e seu aumento é constante. Segundo dados, o aumento de automóveis no Brasil é 10 vezes maior do que o populacional: enquanto a população aumentou em 12,2% em uma década, o número de veículos motorizados aumentou 138,6%.

O crescimento da quantidade de automóveis é visível, mas caminhar é necessário e indispensável. Em outras palavras, andar nunca vai sair de moda. Basta lembrar que nem todo mundo possui carros ou motos, mas todos são pedestres. Caminhar pode ser um dos melhores meios para chegar ao seu destino, mas a prática ainda precisa de conscientização. Confira:

Campanhas nunca são demais
Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o trânsito em condições seguras é um direito de todos nós. O andar é a nossa principal forma de locomoção, e por isso a conscientização para a segurança deve aumentar a cada dia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o trânsito é a oitava causa de mortes no mundo, interrompendo 1,24 milhão de vidas a cada ano. Ao todo, os pedestres representam 22% das fatalidades. Essa estatística levou a OMS elaborar uma cartilha intitulada “Segurança para Pedestres”. O documento traz dados globais e as melhores práticas a serem aplicadas como parte dos esforços para reduzir lesões e mortes no trânsito.
O Movimento Maio Amarelo foi outra campanha que chamou atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. O Movimento criou a Agenda Positiva para um trânsito mais seguro e cada mês ganhou um tema diferente. Setembro de 2014 foi o mês dos pedestres, e a importância da atenção que os pedestres devem ter foi um dos temas debatidos.

Os benefícios de “ir a pé”

Além de ecologicamente correto, caminhar desafoga o trânsito e faz bem à saúde. Se você não possui tempo para caminhar, a dica é incorporar a atividade em seus compromissos. Alguns dos benefícios que caminhar até seu destino vai te trazer são: diminuir o estresse e a sonolência, melhorar a circulação, aumentar a sensação de bem estar, deixar os pulmões mais eficientes, controlar a vontade de comer e outros. Muitas vezes, usamos o veículo para ir a lugares que poderíamos perfeitamente ir a pé, não é mesmo?

Os Cuidados ao “ir a pé”

  •  Atenção redobrada no caminho;
  • Ande sempre nas calçadas;
  • Atravesse nos locais apropriados;
  •  Onde não existir faixa de pedestre, atravesse nas esquinas onde a faixa deveria estar.
  • Não transite entre veículos em movimento;
  • Em locais com semáforos, são as indicações deles que determinam a preferência.
  • Muito cuidado ao falar, digitar ou ler mensagens enquanto caminha, principalmente ao atravessar a rua;
  • À noite, procure ficar visível para os condutores, evite atravessar em locais escuros;

E lembre-se sempre: mesmo tendo a preferência, a sua segurança deve vir em primeiro lugar.

Gostou desse artigo? Se você gostou, tem alguma opinião, sugestão ou até mesmo um pedido de conteúdo que você gostaria de ler, deixe o seu comentário aqui embaixo ou nos envie um e-mail. Eu ficarei muito feliz em ler o seu comentário, saber o que você achou e ler suas sugestões para escrever os próximos artigos.

Até a próxima!

roberta.transito@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim.

Seja um membro você também!